Conheça o nosso movimento

1) Como tudo começou


1.1 No Ministério Público

Em novembro de 2019, em nome de mais de 600 investidores o Professor Evandro Teruel foi negociar a retirada do Bitcoins a Atlas. Seria recebido pela advogada Tatiane Bom Fim, mas na realidade foi recebido por 2 consultores.

Na conversa de mais de uma hora Professor Evandro percebeu que não iriam pagar e deu prazo de 1 dia para que os saques dos investidores fossem liberados e para que a advogada Tatiane Bom Fim entrasse em contato.

O prazo terminou e Professor Evandro já tinha escrito uma denúncia que apresentou ao Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), sendo tal denúncia identificada como Notícia de Fato nº 38.0003.0009382/2019-9 – MP/SP e se tornando Processo nº 1502038-57.2020.8.26.0050.

Em fevereiro de 2020 a denúncia apresentada pelo professor foi aceita e MP-SP enviou pedido de investigação ao DIG-DEIC, Delegacia especializada em crimes eletrônicos (Inquérito Policial nº 2021444-64.2020.140524).

As investigações foram coordenadas pelo delegado ANDRÉ JUNJI IKARI, que concluiu em seu relatório que a Atlas cometeu um conjunto de crimes federais, dentre eles, crimes contra o sistema financeiro nacional.

Com base nas investigações e no relatório do delegado ANDRÉ JUNJI IKARI do DIG-DEIC a promotora CLÁUDIA FERREIRA MAC DOWELL, do MP-SP, submeteu o caso para o Ministério Público Federal (MPF) para investigações e providências(Autos nº 1502038-57.2020.8.26.0050).

Recentemente o procurador do MPF, da 10ª Vara Criminal Federal de São Paulo, Dr. Vicente Solari de Moraes Rêgo Mandeta, entendeu que os crimes praticados pela empresa Atlas não são de competência Federal (crime contra a economia popular e contra o sistema financeiro nacional), mas sim de estelionato e devolveu o processo para a Justiça Estadual (MP) de São
Paulo.

O número do Processo de referência é 1502038-57.2020.8.26.0050. Assim, o processo voltou para as mãos da Dr. Cláudia Ferreira Mac Dowell, Promotora de Justiça Criminal de São Paulo. Como houve um conflito de atribuições entre o MP-SP e o MPF, a promotora Dr. Cláudia Ferreira Mac Dowell submeteu o caso ao Conselho acional do Ministério Público (CNMP) para que decidam se o caso seguirá na esfera estadual ou na esfera federal.

Nossa luta está sendo para que o CNMP deixe o caso na esfera federal, onde Rodrigo marques, da Atlas, e seus
compartas sejam punidos com penas mais justas.

1.2 Na Polícia Federal

Por volta de março de 2020 o Professor Evandro Teruel procurou o advogado criminalista Dr. Rafael Salles, para ser representado em uma ação criminal contra Rodrigo Marques, da Atlas, na Polícia Federal.

Dr. Rafael Salles escreveu então uma “Notícia de Fato” e apresentou, em nome do Professor Evandro Teruel e o grupo representado por confiança, por ele, na Polícia Federal de São Paulo. Tal “Notícia de Fato” originou o processo SEI nº 08500.017152/2020-74, que foi enviado da PF de SP para a PF de Brasília, sob o argumento que será necessária uma operação interestadual e internacional.

A PF de Brasília remeteu o parecer recente de que o caso deverá ser tratado a PF de SP (Parecer nº 15612568/2020- NUCOR/COR/SR/PF/SP). Em resumo, se o caso da Atlas no MP ficar na esfera estadual (SP), um juiz estadual solicitará que a Polícia Civil tome providências contra Rodrigo Marques e seu bando, acusandoos de crimes de estelionato, pirâmide financeira etc.

Como ele é réu primário, pode nem mesmo ir preso. Mas caso for tratado no MPF, Rodrigo Marques e seu bando responderão por crimes federais e podem pegar mais de uma década de cadeia. Neste caso a Polícia Federal fará as
operações.

Paralelo à avaliação do MP a Polícia Federal de SP poderá inicial a qualquer momento operações de atuação a pedido de um juiz federal que poderá avaliar o caso.

2) Informações Gerais

O movimento hoje é encabeçado pelo Professor Evandro Teruel, que iniciou as ações na justiça em 2019 e que mantém grupos de Telegram e WhatsApp na luta por justiça. Em 2021 o movimento ganhou o reforço substancial de Giliardi Jorge, personalidade forte que está à frente das ações públicas junto a políticos, emissoras de TV e rádio etc.

O movimento conta ainda com o suporte jurídico dos advogados Rafael Salles e Artêmio Picanço e do empresário Rocelo Lopes. Temos subgrupos no Telegram para organização de nossas ações organizadas (“Atlas – Estrategistas”), para nossas ações de marketing digital e para nossas ações de inteligência.

Novas lideranças estão surgindo e atuando juntamente com as lideranças principais.

3) Ações organizadas que já realizamos

1) Denúncias na Polícia Civil;
2) Denúncias no Ministério Público Estadual;
2) Denúncias na Polícia Federal;
3) Pressão na mídia via e-mail;
4) Pressão no Conselho Nacional do Ministério Público para deixar o caso Atlas na esfera Federal;
5) Pressão na Polícia Federal via e-mail para iniciar as investigações e prisões;

4) Ações organizadas previstas

1) Pressão nas redes sociais de emissores de rádio e TV para que façam cobertura do caso Atlas;
2) Pressão em associações e empresas ligadas à Atlas e à Rodrigo Marques, da Atlas;
3) Pressão nas redes sociais de pessoas comprovadamente ligadas à Rodrigo Marques, da Atlas;
4) Manifestações em frente ao Ministério Público e à Polícia Federal (previstas para 14 e 15 de abril);
5) Manifestações com carro de som pela cidade de São Paulo.

5) Ex-diretores e pessoas ligadas Atlas que foram ouvidas por nós em chat de voz no grupo

1) Emília Malgueiro Campos – Risk Executive Director. Ex-advogada da Atlas Quantum.
2) Bruno Oliva Peroni – Diretor Comercial da Atlas.
3) Fábio Roberto Eleutério – Change Management Director.
4) Almerito Gomes dos Santos – Contador da Atlas.
5) Márcio Costa Coelho – vice-presidente da Atlas.

6) Ex-diretores e pessoas ligadas a Atlas que foram ouvidas em chat privado

1) Matheus Darós Pagani – Mente técnica do grupo Atlas, suposto desenvolvedor do robô de arbitragem;
2) Danilo Falco – Sócio de Matheus Darós Pagani, ex-funcionário da Atlas;
3) Matheus Grijó – Vendeu a Anúbis Trade para a Atlas.

7) Como você pode ajudar

Participe das nossas ações organizadas, dê sugestões nos grupos, envie-nos informações e ajude-nos a trazer pessoas ligadas à Atlas para falar em nossos grupos. Em eventuais campanhas onde necessitamos de valores financeiros, participem das nossas “vaquinhas”, quando possível.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui