Maioria do CNMP vota por manter o caso Atlas Quantum na esfera federal

Durante a 7° sessão ordinária de 2021 foi colocada em pauta a votação do pedido de providências n° 1.00058/2021-68 no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que foi instaurado para solucionar conflito de atribuições entre o Ministério Público de São Paulo e o Ministério Público Federal no caso Atlas Quantum.

A pauta estava com o relator Oswaldo D’Albuquerque, que decidiu manter o caso no MPF, o que deixa a organização criminosa de Rodrigo Marques sujeita a penas mais severas, já que podem se enquadrar nos crimes contra o sistema financeiro nacional, crimes contra a economia popular, evasão de divisas, gestão fraudulenta, lavagem de capitais, entre outros delitos.

A denúncia inicial foi feita pelo professor Evandro Teruel no Ministério Público de São Paulo em 2019, desde então o caso tem sido redirecionado a diversas delegacias para apuração e não retornou o resultado que interessa às 40 mil vítimas do golpe: a prisão da quadrilha de Rodrigo Marques.

O valor que foi subtraído dos clientes da Atlas Quantum está hoje em quase 5 bilhões (em reais), ou seja, é o maior golpe financeiro do Brasil.

Segue o vídeo abaixo relacionado a nossa pauta em votação no CNMP:

Vídeo retirado da 7º Sessão Ordinária de 2021 (CNMP)


A decisão foi favorável para o caso continuar sob investigação do Ministério Público Federal. Ótima notícia para todos os investidores e lesados pela empresa.

Agradecemos a todos os membros do movimento pelas ações realizadas e continuaremos até obter justiça e nosso dinheiro de volta.

NADA SUPERA A INEXORÁVEL MARCHA DO TEMPO, JUNTOS SOMOS MAIS FORTES.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui